18 de maio de 2010

Primeiro poema que declamei sem parar...

A foto ao lado foi tirada quando eu estava na quarta série. Uma foto típica daquelas que eram tiradas no colégio. Mas essa é especial porque é diferente. O poema abaixo a acompanhava. Na época, minha professora era a Judite Adam Klein. Ela fez com que a turma decorasse o poema de tanto declamarmos! E era muito divertido! Minha inspiração para ser professora é ela, que sempre procurou fazer o melhor que pôde com os recursos que tinha. 
Acredito que hoje sou professora porque durante toda a minha formação tive professores 
                      M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O-S! 
Incluo aqui o Pastor Carlos Roberto Frühauf, da Paróquia de Chapada, que muito me incentivou a estudar no Instituto de Educação Ivoti.

Rodeio


Vida, esse grande rodeio
Eu, apenas um peão.
Procurando saber e amar, nos galopes do meu coração.
Monto em pêlo na esperança, me agarro em sua crina.
Tenho fé que algum dia, eu possa domar minha sina.
E que a sorte traiçoeira, por infinita bondade.
Deixe que eu aprume o corpo no dorso da felicidade.
Quero ir montado em riso, abraçado à minha amada.
Encontrar o paraíso e fazer nossa morada.
Reunir todos os peões, cavalgar com liberdade.
Tendo presas pelas mãos, as rédeas da igualdade.
Quem escolher vaidade como sua montaria.
Saiba que a estrela da noite perde o brilho à luz do dia.
E não há cavaleiro por maior habilidade.
Capaz de sustentar, na sela da eternidade.
É que o tempo é indomável.
Não aceita espora ou freio.
Quem se julga bom peão, pelas pratas do seu arreio.
Também termina no pó, no final deste rodeio.


(Hardy Guedes Alcoforado Filho)


Agradeço a Deus por colocar e ter colocado pessoas tão maravilhosas na minha vida!
DANKE LIEBER GOTT!

Postar um comentário