21 de maio de 2011

Entomologia - entenda mais sobre esse assunto!



Na sexta série estamos lendo o livro " O escaravelho do diabo " de Lúcia Machado de Almeida. 

Trata-se de um livro de suspense e policial, em que a história gira em torno de assassinatos seguidos. As vítimas são todas ruivas legítimas, com a coloração capilar que lembra o fogo. Antes de morrer recebem um estranho pacote embrulhado, que contém dentro um escaravelho e que depois descobrem o nome científico que parece anunciar sua morte. Tudo começa com o assassinato de Hugo. Seu irmão Alberto, estudante de medicina, com a ajuda de Inspetor Pimentel e sub-inspetor Silva resolvem solucionar o mistério. Após o assassinato de seu irmão ocorrem diversos outros assassinatos também praticados pelo "inseto". Em uma de suas buscas pelo assassino de seu irmão e de outros ruivos da cidade Alberto conhece Verônica, uma simpática senhorita que vive na pensão de Cora O'Shea, a partir disto, Alberto se vê dividido entre solucionar o mistério da morte de seu irmão, ou conquistar o amor de Verônica.


Mas a pergunta agora é: será o assassino um entomólogo? Por que todas as vítimas recebem besouros?  Para os que já terminaram: pssshhhhhh!!!!!!! Segredo!


Enquanto isso, abaixo está um texto que encontrei na revista Ciência Hoje falando sobre entomologia. Vale a pena conferir!

Quando crescer, vou ser... entomólogo!
Entenda a formação e o cotidiano dos profissionais que estudam os insetos

Angelo tinha 16 anos quando sua tia o chamou e disse: "Vá procurar o professor Nilton dos Santos. Ele irá contar para você qual é o nome de cada uma das suas libélulas." O garoto, que possuía vários insetos desse tipo, fez o que a tia mandou. Cheio de medo, chegou perto do mestre, explicou o que queria e ouviu uma resposta inesperada: "Eu não vou dar nome de coisa nenhuma", disse o professor. "Você mesmo é que irá descobrir." Angelo, então, voltou para casa com um trabalho sobre libélulas embaixo do braço. Tinha a tarefa de identificar quais eram as espécies dos insetos que havia coletado. No dia seguinte, estava de volta para descobrir seus erros e acertos.
O tempo passou e o garoto que procurou um reconhecido pesquisador de libélulas para saber o nome dos insetos que tinha coletado se tornou professor! Hoje Angelo Machado dá aulas na Universidade Federal de Minas Gerais, é especialista em libélulas (claro!) e seu trabalho consiste, justamente, em identificá-las e classificá-las! "Desde criança, eu queria ser entomólogo, pois gostava de insetos e queria trabalhar com o que gostava", conta ele. Epa! Mas o que é um entomólogo?
O entomólogo é o profissional que estuda um tipo de bicho que a maioria das pessoas detesta: os insetos. Ele pode trabalhar com taxonomia, isto é, identificando e classificando esses animais, como faz o professor Angelo Machado, ou em outras áreas. O entomólogo Anthony Érico Guimarães, da Fundação Oswaldo Cruz, por exemplo, se dedica à entomologia médica, que estuda insetos que transmitem doenças ao homem. "Se uma doença está sendo transmitida por insetos em qualquer lugar do Brasil, nós, da Fiocruz, vamos até lá, os coletamos e identificamos a espécie que está transmitindo a moléstia", explica ele. "Então, definimos quais medidas de controle devem ser tomadas."
Bacana, não é? Mas, acredite: há outras áreas, tão interessantes quanto estas, em que o entomólogo pode atuar. Se quiser, esse profissional pode estudar insetos que transmitem doenças aos animais, as pragas da agricultura ou ainda a ecologia dos insetos. "Neste caso, o entomólogo analisa a relação do animal com o ambiente. Pesquisa onde ele vive, em que época do ano mais ocorre, se tem hábitos noturnos ou diurnos, onde põe ovos, do que se alimenta etc.", conta Anthony Érico Guimarães.
Se essa profissão lhe agrada em cheio e você já pensa em cursar faculdade de entomologia... Melhor mudar de planos! Não, não é para desistir da carreira! Só para buscar o curso certo! Faculdade de entomologia não existe! Para ser entomólogo, é preciso se formar, por exemplo, em biologia e, depois, se especializar em entomologia. Isto é, na parte da zoologia -- a ciência que estuda os animais -- dedicada aos insetos!

Mas caso você curse veterinária ou medicina ainda pode ser um entomólogo. O professor Angelo Machado, por exemplo, se formou em medicina, mas nunca exerceu a profissão. Por anos, deu aulas e estudou insetos como hobby. "Quando me aposentei, passei a estudar entomologia e hoje essa é a minha profissão. Fiquei sem hobby, então, virei escritor de livros infantis", conta ele, que publicou obras como A outra perna do Saci e O casamento da ararinha azul, mas ainda não dedicou um livro às libélulas. Pode?
Claro que isso não quer dizer que o trabalho como entomólogo não o ajude a escrever suas obras! Por conta das diversas viagens que fez pelo Brasil para coletar insetos, o professor teve contato com índios, seringueiros, mateiros. Resultado: conheceu a cultura indígena, mitos, crenças e transformou muito do que aprendeu nas suas andanças como entomólogo em história!
Não pense, porém, que o trabalho de campo é moleza. Para coletar insetos, o entomólogo segue para lugares distantes, enfrenta frio, chuva, falta de conforto e ainda corre o risco de voltar para casa sem ter achado o que buscava! "Por isso, esse profissional precisa ter gosto pela natureza, força de vontade e persistência. Além de curiosidade e vontade de aprender", explica Anthony Érico Guimarães. Para trabalhar com taxonomia, conta Angelo Machado, é importante ter boa memória -- inclusive visual -- e bons conhecimentos de língua estrangeira.
Mas o que fazer enquanto a hora de virar um entomólogo de verdade não chega? Uma dica é seguir a sugestão de Anthony Érico Guimarães. "Procure observar a natureza e não destruir os insetos. Por mais insignificante e repulsivo que eles possam parecer, fazem parte do meio ambiente e, certamente, sua retirada, se não for para estudo, pode causar danos a outros animais. Portanto, preserve."

Mara Figueira, 
Instituto Ciência Hoje/RJ

Fontes:
Postar um comentário