25 de junho de 2012

Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas

O texto a seguir você encontra na versão original no link .

 Depois que surgiu o Quadro Comum Europeu de Referência e as pessoas começaram a ver os níveis (A1, A2 etc.) nos livros e certificados, isso virou um mercado. Muita gente nao entende muito bem esses níveis A1, A2 etc. e acha que pode conseguir um certicificado de um nível pra outro da noite pro dia. Conheço gente que faz cursos de vários níveis ao mesmo tempo (e as escolas só ganhando dinheiro!). Fui informado que o programa "Ciências sem Fronteiras" está pedido que os participantes atinjam A2 no Teste OnDaF*. Mesmo sendo um dos níveis mais básicos, tem gente que quer conseguir o nível da noite pro dia, num passe de mágica. Vejo diariamente no meu trabalho estudantes correndo feito loucos pra conseguir um certificado que diga que eles têm um nível X (que eles geralmente não têm) para não perder chances de bolsas, estágios etc.  Galera, vamos com calma. Nada de aprender idiomas só pra ter certificado. Anos e anos de cursos de inglês já provaram que não adianta nada ter cerficado do curso sem falar o idioma, nao é mesmo? 


Vou fazer um resumão superbásico feito de cabeça do que esses níveis significam.

O A1 e A2 sao os níveis básicos. Geralmente as pessoas desses níveis sao capazes de falar sobre si mesmas e sobre outras pessoas. Os temas giram em torno de assuntos pessoais e familiares.Pessoas que estão nesse nível geralmente só entendem alguém falando se o outro falar devagar e de forma clara. 
Para se casar com um(a) cidadã(o) alemã(o) e ganhar o direito de morar na Alemanha, é necessário que o cônjuge brasileiro consiga provar o nível A1. Para o programa "Ciências sem Fronteiras" o estudante precisa provar no mínimo A2*. 

O B1 é o pré-intermediário. O aluno que alcança um certicicado de B1 é capaz de se expressar como TURISTA nas mais diversas situações. Ele conseguirá fazer uma visita ao país e se virar. O B1 é o nível mínimo pra se obter autorização pra trabalhar na Alemanha. Com ele a pessoa deve ser capaz de se virar sozinha nas situações do dia-a-dia.

O B2 é o nível intermediário propriamente dito. Somente a partir desse nível é que se começa a falar em linguagem técnica e acadêmica. Os cursos até o B1 são voltados para o dia-a-dia.. A partir do B2 os cursos se voltam para o linguajar técnico e acadêmico. O aluno começa aqui a aprender estruturas mais complexas de se expressar e não só a linguagem falada na rua e na vida cotidiana. O B2 é o nível mais baixo que alguém deveria ter caso quisesse fazer faculdade na Alemanha, pois é só nesse ponto em que o aluno aprender a linguagem técnica.

Alguns cursos aceitam que os alunos entrem com o TestDaF no nível B2+. Esse nome B2+ indica que a pessoa ainda está no nível B2, mas está quase no nível C1.  

Os níveis C1 e C2 sao os níveis mais altos. O aluno aqui deve ser capaz de se expressar com clareza, tanto no dia-a-dia quanto no meio profissional e acadêmico, cada um na sua área respectiva. O DSH e o TestDaF geralmente tentam selecionar alunos com C1 e C2 para fazer faculdade na Alemanha. A diferenca entre um nível e outro é a capacidade que a pessoa tem de se expressar especificamente em tudo o que quer dizer.

O teste DSH tem nível entre C1 e C2. O TestDaF fica entre B2 e C1. O Instituto Goethe também oferece certificados oficiais do nível C2 para quem se interessar. Essa prova substituiu as provas KDS e GDS. Obter um cerficado do nível C2 pode ser bom para brasileiros que queiram depois trabalhar como professores de alemão. É uma prova do alto domínio da língua alemã.

Nenhum dos níveis, nem mesmo o C2, exige que a pessoa fale sem errar. Erros podem ser cometidos até no nível C2. O que faz uma pessoa ter um nível é o que ela CONSEGUE/SABE e nao o que ela nao sabe. 
Lembrando também que como os níveis B2 a C2 sao muito voltados para a linguagem mais técnica, acadêmica e profissional, nem todo falante nativo vai conseguir ter esse nível. Você, como estrangeiro, talvez consiga se expressar num nível C2 até melhor do que um nativo alemão que tem uma profissão e vida simples.

Ou seja, nada de pensar que C2 é falar como um nativo. É falar como um nativo com altas competências acadêmicas e profissionais. C2 é conseguir se expressar claramente e especificamente, até mesmo num ambiente profissional e acadêmico. Isso são competências que vão um pouco além de só falar o idioma. Pegar um texto com linguagem científica, lê-lo e ainda depois conseguir passar claramente as ideias do texto com suas próprias palavras não é todo mundo que consegue fazer, nem mesmo na língua materna.  

Os detalhes de cada nível vocês podem ler na internet se quiserem, mas nao é muito importante para os alunos, é mais importante para os professores de língua estrangeira. Só queria mesmo dar uma ideia do que cada letra e número significam para que ninguém fique achando que dá pra pular de uma letra pra outra da noite pro dia. 

* * * * * * * * * * * * * * 

Veja também: