2 de agosto de 2012

O sistema de ensino na Alemanha

O sistema educacional alemão difere muito do brasileiro. Como os governos estaduais têm autonomia sobre seu sistema de ensino, as características podem variar de estado para estado.  
Normalmente, as crianças começam a frequentar o jardim-de-infância (Kindergarten) a partir dos 3 anos de idade. A obrigatoriedade escolar existe a partir dos 6 anos até a 9ª ou 10ª série, dependendo do estado, e no máximo até os 18 anos. 
Os jardins de infância são mantidos por igrejas, iniciativas particulares ou pela municipalidade. A mensalidade é calculada conforme os rendimentos da família, independente de o estabelecimento ser público ou privado. Durante seu último ano no jardim de infância, a criança "pré-escolar" (Vorschulkind) toma contato com letras e números, o que no entanto não pode ser considerado alfabetização como o pré-primário que conhecemos do Brasil. 
O ensino público na Alemanha é gratuito a partir da primeira série; paga-se apenas parte dos livros. Um semestre antes de entrar para a escola, a criança é submetida a um teste médico. Se forem verificados problemas no desenvolvimento psicológico, motor ou linguístico, ela é encaminhada para possíveis correções. O primeiro dia na escola obedece a todo um ritual, do qual participa a família inteira.

Menina com sua Schultüte após o primeiro dia de escola
A forte presença da Igreja na sociedade alemã é sentida nestes momentos. Em muitas escolas, antes da distribuição em classes e o primeiro contato com o professor, realiza-se um culto ecumênico na paróquia mais próxima. Outra peculiaridade é a Schultüte (cone colorido, oferecido às crianças no primeiro dia de aula), cheia de presentes e doces.
O curso primário tem a duração de quatro anos; apenas alguns estados estenderam essa etapa para seis anos. 

Escolas secundárias
Ao encerrar o primário, a criança começa a ter definida a sua orientação profissional. Conforme o desempenho dela nos primeiros quatro anos de escola, a professora sugere aos pais o tipo mais apropriado de escola secundária. Há três opções: 
Hauptschule, em que os alunos recebem uma formação geral básica. Após a conclusão, encaminham-se geralmente para uma formação profissionalizante que os habilita a exercer um ofício ou uma atividade na indústria ou na agricultura. Dura de cinco a seis anos.
Realschule, que habilita a frequentar cursos mais adiantados em escolas profissionalizantes, escolas secundárias vocacionais ou o segundo ciclo do ginásio. Dura seis anos.
Gymnasium, que dura oito ou nove anos, conforme o estado federado, e propicia uma formação básica mais aprofundada. O certificado de conclusão, o cobiçado Abitur (de importância semelhante à do vestibular brasileiro), habilita para o acesso a uma universidade ou escola superior.
Até um certo ponto, o sistema é permeável. Conforme o desempenho do aluno nos dois primeiros anos na escola secundária (5ª e 6ª séries), existe a possibilidade de se transferir para uma escola de tipo diferente da escolhida originalmente.
Existe ainda a Gesamtschule, que integra os três tipos numa só, bem como escolas com outros tipos de currículo, dependendo do estado.

Escola em tempo integral


A adoção deste tipo de estabelecimento vem sendo cada vez mais defendida na Alemanha. Em outros países europeus, é comum a criança ou o adolescente passar o dia inteiro na escola, sendo assistido nas tarefas de casa e podendo participar de atividades extraclasse, como esporte e artes.
Na Alemanha, as aulas são dadas no período da manhã, terminando o mais tardar em torno das 14 horas. Alguns jardins de infância prestam assistência depois desse período (almoço e acompanhamento dos deveres de casa) também a crianças em idade escolar, no chamado Hort

Escolas especiais
Crianças e adolescentes portadores de necessidades especiais frequentam escolas especiais, das quais existem diferentes tipos de acordo com a deficiência. Para esses alunos vale igualmente a obrigatoriedade escolar.

Escolas profissionalizantes
Estas escolas (Berufsschulen) fazem parte do sistema dual de formação profissionalizante, que habilita o jovem ao exercício de uma profissão ou oficio oficialmente reconhecido. A formação teórica se dá na escola (um a dois dias por semana), enquanto o aprendizado prático é feito numa empresa nos outros dias, diretamente num posto de trabalho ou oficina.
Encaminham-se a uma formação profissionalizante, que dura de dois a três anos e meio e é remunerada, sobretudo jovens vindos da Hauptschule ou da Realschule. De uns tempos para cá, também muitos aprovados no Abitur decidem-se por uma qualificação deste tipo. 

Ensino superior
A longa tradição acadêmica na Alemanha foi iniciada com as primeiras fundações, no século 14. Através da reforma no ensino superior feita por Wilhelm von Humboldt (1767–1835), foi estabelecida a união da pesquisa e do ensino nas universidades alemãs.
Após uma reforma na década de 1970, o estudante passou a ter maior liberdade na escolha das disciplinas. Há vários tipos de instituições de ensino superior, mas a maioria das universidades alemãs pode ser enquadrada entre as seguintes: 
– Universitäten e Technische Universitäten: São as universidades tradicionais e as técnicas, com cursos voltados para teoria e pesquisa, com a titulação de Magister (para as Ciências Humanas e Sociais), Diplom (para as Ciências Exatas e Naturais) ou Staatsexamen (para as áreas de Direito e Medicina) e possibilidade de doutorado. Oferecem, também, cursos para a formação de professores do ensino primário e médio. A graduação na Alemanha é mais abrangente e longa do que no Brasil. Desde o início do século 21, a Alemanha participa do chamado Processo de Bolonha, que tem por meta a equiparação dos currículos e dos títulos de Bachelor Master, bem como do doutorado nas universiddes e escolas superiores dos países envolvidos.
– Fachhochschulen: São as escolas superiores de tecnologia ou universidades de ciências aplicadas, com cursos mais curtos e voltados para a prática, com a obrigatoriedade de um estágio durante o curso e sem possibilidade de doutorado.

Volkshochschulen
Há ainda os centros para a educação de adultos (Volkshochschulen), dedicados exclusivamente ao aperfeiçoamento, não só profissional. Sua oferta é muito ampla e direcionada sobretudo para o aperfeiçoamento geral, seja em culinária ou em idiomas, mas também, em escala cada vez maior, para a melhoria das qualificações profissionais.

O texto foi levemente alterado do original e revisado por Haidi Scheibe em agosto de 2012.

Um esquema detalhado que aborda o sistema de ensino na Alemanha você pode ver no site: http://tu-dresden.de/die_tu_dresden/fakultaeten/fakultaet_informatik/smt/dil/ib/laendervergleich/deutschl/schulsystem/view

Para saber um pouco mais como funcionam as universidades na Alemanha, leia também o texto Cooperação entre Brasil e Alemanha oferece oportunidades para ensino superior   da Uol Educação.

Globo Universidade mostra histórias de brasileiros que estudam na Alemanha - Programa foi gravado em Berlim, maior polo universitário do país
http://redeglobo.globo.com/globouniversidade/videos/t/edicoes/v/especial-alemanha-integra/2070361/ 


Outros:
http://www.conteudoescola.com.br/colunistas-conteudo-escola/54/170-o-sistema-educacional-na-alemanha

http://www.jornalolince.com.br/2008/out/educacao/sistemaeducacional.php

http://deutsch-ist-geil.blogspot.com.br/2009/02/schulsystem.html